13/10/2020 - 14:00 - Atualizado em 13/10/2020 - 14:50

Entrevista | “Os hábitos de vida são fatores preponderantes para prevenir ou estimular o surgimento do câncer de mama”, alerta a médica Núbia Pereira Pinto

Nesta entrevista exclusiva à Postal Saúde, a médica credenciada Núbia Pereira Pinto, especialista em Ginecologia e Radiologia voltada à saúde da mulher, desmitifica a ideia de que a hereditariedade é o fator mais preponderante para o surgimento do câncer de mama, esclarece dúvidas comuns com relação à doença e traz dicas de hábitos saudáveis, tão importantes para prevenir o surgimento do câncer de mama e de outras enfermidades.


Quais as principais causas do câncer de mama?

Vários fatores influenciam o surgimento do câncer de mama, entre eles: mutação no código genético de uma célula, que pode ser causada pelo envelhecimento; radiações emitidas pelo próprio planeta Terra; tabagismo; álcool e mutações dos gens BRCA 1 e BRCA2 herdadas por intermédio dos pais, sendo que este último fator representa apenas entre 5% e 10% dos casos da doença.

Isso significa dizer que os hábitos podem prevalecer sobre a hereditariedade?

Sim. Sabemos que apenas 5 a 10% da população apresenta mutações genéticas hereditárias, sendo as mais comuns de BRCA 1 e 2, que podem elevar em até 70% e 55%, respectivamente, a chance de ter câncer de mama durante a vida. Porém, esta não é uma certeza absoluta. Os hábitos de vida da paciente atuam como importantes fatores modificadores, preponderantes tanto para prevenir quanto para estimular o surgimento do câncer de mama.

Quais os exames mais eficientes para prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de mama?

O melhor exame para o rastreio do câncer de mama é a mamografia, indicada pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e pela Sociedade Brasileira de Mastologia a partir dos 40 anos, anualmente. Em programas de rastreamento, a mamografia tem mostrado uma redução significativa, acima de 40 %, no risco do câncer de mama.

Já a ecografia é um exame complementar à mamografia e pode ser realizada em qualquer idade e. É indicada principalmente para pacientes com mamas densas, encontradas comumente em mulheres jovens.

Em que casos a mamografia pode ser indicada antes dos 40 anos?

Este exame pode ser recomendado antes dos 40 anos se houver familiar de primeiro grau (mãe ou irmã) com diagnóstico de câncer de mama antes dos 50 anos.

Qual o protocolo para as mulheres com mais de 50 anos?

O protocolo para as mulheres com mais de 50 anos é o mesmo, segundo o Colégio Brasileiro de Radiologia e a Sociedade Brasileira de Mastologia. Com o aumento da idade, aumenta também o risco do câncer de mama.

Que sinais a mulher deve observar nas mamas?

As mulheres devem se atentar para alterações nas mamas, como nódulos endurecidos, fixos às estruturas vizinhas; secreção que sai espontaneamente de um mamilo, na cor de agua transparente ou sanguinolenta e coceira persistente na aréola e no mamilo, unilateralmente.

O câncer de mama tem cura? Qual o índice de cura?

Sim, o câncer de mama tem cura e, quando diagnosticado precocemente, o índice de cura é maior que 90%. Um fator muito importante para a cura completa é o tamanho do tumor no momento do diagnóstico. Tumores menores que 2 cm tem alta chance de cura, com cirurgias e tratamentos menos agressivos.

Que cuidados as mulheres (adultas e adolescentes) devem ter relação à saúde do corpo e da mama?

As mulheres adolescentes e adultas devem priorizar sua saúde com hábitos de vida saudáveis. A amamentação deve ser estimulada, sendo benéfica tanto para o bebê quanto para a mulher, exercendo efeito protetor contra o câncer de mama. O autoexame deve ser encorajado também como uma estratégia para que a mulher conheça melhor o seu corpo. E terapia de reposição hormonal deve ser individualizada caso a caso, evitando se estender por mais de 5 anos.

Por causa da pandemia, muitas mulheres deixaram de fazer o preventivo, seguindo as recomendações das autoridades para evitar exames eletivos. O que fazer, nessa situação?

No momento, está indicado que as pacientes retomem suas consultas, com os devidos cuidados. As clinicas e serviços de saúde já se adequaram às normas preconizadas pelo Ministério da Saúde. Não podemos relaxar os cuidados, pois existe uma previsão de aumento de 30 a 40% nos casos de câncer durante esse período. A prevenção é a melhor forma: hábitos saudáveis, autoexame, consultas médicas periódicas e realização de exames preventivos, conforme indicação médica.

Que dicas a senhora deixa para as mulheres como prevenção do câncer de mama?


A prevenção do câncer de mama pode ser feita através da mudança de hábitos de vida, e dos exames complementares. Na mudança de hábitos de vida, damos as seguintes recomendações:

  • Mantenha o peso adequado, pois a gordura é um depósito de hormônios, e o Câncer de mama é hormônio dependente;
  • Realize atividade física regular, que pode reduzir o risco de câncer de mama de 10 a 25%;
  • Adote uma dieta equilibrada, rica em vegetais e frutas, com redução de carnes vermelhas e embutidos, e rica em ômega 3 e 6, encontrados em peixes e oleaginosas;

  • Evite o álcool e o fumo;

  • Faça o autoexame mensalmente;
  • A partir dos 30 anos, marque consulta anual com o ginecologista;

  • Analise com o seu médico o risco/ benefício da terapia de reposição hormonal, evitando períodos maiores que 5 anos;

  • A partir dos 40 anos, faça a mamografia uma vez por ano

Serviço

Clínica Viver de Imagens Médicas

Endereço: Setor Hospitalar Sul Torre I, Via W5 Sul, Salas 320-324 (3º andar), Brasília - DF

Horário de atendimento: Segunda a sexta-feira - das 7h às 19h

Sábado – das 7h às 12h.

Telefone: (61) 3034-8833


Por: Comunicação/Postal Saúde
Foto: Arquivo pessoal