13/03/2019 - 16:25 - Atualizado em 13/03/2019 - 16:14

Esclarecimentos - Matéria da Carta Capital

Sobre matéria publicada na Carta Capital, reproduzimos abaixo comunicado interno publicado pelos Correios, a Mantenedora da Postal Saúde, no último dia 12.

Primeira Hora Extra - 12/3/2019

Em relação à reportagem “Correios vivem uma guerra silenciosa entre o general e o Kassabismo”, publicada em 8 de março de 2019, a empresa repudia veementemente a forma irresponsável como o veículo tratou de temas relacionados aos Correios e à Postal Saúde. Por isso, julga importante prestar os seguintes esclarecimentos aos empregados:

Designação de membros da Diretoria Executiva

A designação dos vice-presidentes dos Correios segue rigorosamente a legislação vigente: os nomes dos indicados são submetidos à análise e aprovação no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Casa Civil e, posteriormente, avaliados pelo Comitê de Elegibilidade (COELE) conforme os requisitos de formação e experiência previstos na Lei n.º 13.303/2016 e nos normativos correlatos aplicáveis.

Com base em tais parâmetros, o atual vice-presidente de Operações, Carlos Roberto Fortner, foi convidado e eleito pelo Conselho de Administração para exercer o cargo, considerando, dentro outros fatores técnicos, sua experiência como ex-presidente dos Correios e ex-vice-presidente de Finanças e Controladoria da empresa.

E, ao contrário do que afirma a matéria, a Diretoria dos Correios vem atuando absolutamente alinhada e focada no resgate da qualidade operacional e do equilíbrio econômico-financeiro da empresa.

Designação de membros de órgãos colegiados e contratação de empregados da Postal Saúde

A Diretoria Executiva da Postal Saúde, da qual participa seu diretor-presidente, Ariovaldo Aparecido da Câmara, é formada por empregados de carreira concursados da mantenedora (Correios), com experiência e históricos profissionais compatíveis com os cargos que exercem.

O Conselho Deliberativo (CODEL), órgão de orientação estratégica e de superior deliberação, é composto por seis membros representantes da mantenedora e patrocinadoras (Correios e Postalis) e dos associados beneficiários, sendo três membros eleitos e três indicados pela empresa. Da mesma forma, no caso dos representantes indicados pela mantenedora, são rigorosamente observados se a experiência e o histórico profissional são compatíveis com o cargo que exercem.

A fim de dar maior transparência ao preenchimento de vagas, a Postal Saúde implementou política de contratação de pessoas, inclusive para gerentes regionais. Nesse sentido, também, a Diretoria Executiva dos Correios deliberou, recentemente, que toda admissão para os quadros da Postal Saúde se dará por intermédio de seleção, com regras e critérios públicos (edital) que já estão em vigor.

Outras medidas saneadoras

São exemplos, ainda, de medidas saneadoras adotadas pela Postal Saúde para aprimorar seus controles internos e a governança: a implantação da área de riscos, compliance e controle interno e a adoção de licitação na contratação de bens e serviços, nos moldes da Lei n.º 13.303/2016 – Lei das Estatais.

Registra-se, ainda, que a Postal Saúde, conforme previsão e regras do órgão regulador do setor, realiza prestação de contas periódica aos Conselhos Deliberativo e Fiscal da operadora, como também à Agência Nacional de Saúde (ANS).

Corregedoria e Comitês Disciplinares

A Corregedoria dos Correios e os Comitês Disciplinares seguem normas internas rigorosas de atuação e têm seus trabalhos acompanhados pela Controladoria Geral da União (CGU). Destaca-se, inclusive, que o nome do empregado indicado para exercer a chefia da Corregedoria é submetido à apreciação prévia da CGU.

Como regra geral, todos os casos de denúncias e quaisquer indícios de irregularidades são de imediato analisados, sob o aspecto de sua admissibilidade, para desencadear, se necessário, apurações a respeito, à luz do melhor interesse público e da transparência.

Resposta à Carta Capital

Os Correios informam que não foram procurados pelo veículo para esclarecer os pontos apresentados na reportagem, o que fere o princípio básico do jornalismo da isenção, que se obtém ouvindo todas as partes envolvidas.

A assessoria de imprensa dos Correios está em contato com a revista Carta Capital para que sejam publicados os esclarecimentos da empresa sobre os temas abordados na matéria.