20/09/2018 - 15:00 - Atualizado em 20/09/2018 - 15:49

E​u e o meu plano de saúde: O nascimento de Renzo Kallel

Conheça a história do carteiro motorizado Adilson Lourenço, cujo filho recém-nascido precisou passar por uma cirurgia e ficou 25 dias internado na UTI neonatal, na capital potiguar

Renzo Kalell: cuidados na UTI neonatal

Se gentileza gera gentileza, um atendimento eficaz pode mudar a perspectiva ou mesmo o rumo dos acontecimentos. Essa é a constatação do carteiro motorizado Adilson da Silva Lourenço, 41, lotado no Centro de Distribuição Domiciliar (CDD) dos Correios na zona norte de Natal (RN).

Beneficiário da Postal Sáude, ele relata com emoção e alívio os momentos que antecederam o nascimento do seu filho Renzo Kallel, no dia 6 de agosto, e a internação pré e pós-operatória que durou 25 dias no hospital Promater, em Natal (RN). E como o comprometimento profissional de todas as pessoas envolvidas no processo contribuiu para que Renzo deixasse o hospital “são e salvo”.

Diagnóstico inicial

Adilson conta que a gravidez da esposa Soraya foi tranquila até a 38ª semana de gestação quando, durante o exame pré-natal de rotina, recebeu a notícia de que havia uma complicação no pulmão do futuro bebê.

De início, suspeitou-se de um “derrame pleural” (conhecido como água no pulmão) e o parto deveria ser antecipado para submeter o bebê a uma cirurgia logo após o nascimento. Renzo nasceu duas semanas antes do dia marcado para a cesariana.

UTI neonatal

O parto foi bem-sucedido e, logo após o nascimento, a equipe médica percebeu que não se tratava da suspeita inicial. Seria preciso realizar novos exames para um diagnóstico conclusivo. Por isso, Renzo foi encaminhado diretamente para a UTI neonatal, onde foi submetido a uma série de exames.

Cinco dias depois, veio o diagnóstico final: tratava-se de uma hérnia diafragmática, um defeito no diafragma, músculo que auxilia na respiração e serve também para separar os órgãos do tórax daqueles localizados na região do abdômen ( fígado, intestino, estômago, rins). O problema afeta 1 em 2.500 fetos.


Renzo preparado para a alta após 25 dias de internação

Angústia

Não havia previsão de quanto tempo o bebê ficaria internado. Além disso, uma preocupação angustiava Adilson e Soraya: não havia no hospital cirurgião toráxico especializado naquele tipo de procedimento.

Sem saber que decisão tomar, ele foi até a Unidade de Representação Regional da Postal Saúde no Rio Grande do Norte (URR-RN) para saber o que o seu plano de saúde poderia fazer naquela situação.

Boas notícias

Foi quando recebeu duas boas notícias: a possibilidade de contratação direta do cirurgião, prevista na legislação do setor, e a não coparticipação das despesas médicas durante o período de internação do recém-nascido.

A informação trouxe um alívio grande para Adilson: “Fui muito bem atendido na Postal Saúde. Além de providenciarem tudo para a realização da cirurgia, ainda me explicaram que eu não arcaria com nenhuma despesa, pois todos os gastos seriam cobertos pelo plano de saúde, sem coparticipação”.


Orientação

A Operadora orienta os beneficiários que, assim como Adilson, dirijam-se às Unidades de Representação Regional ou à Central de Atendimento ao Beneficiário (0800 888 8116) sempre que necessitarem de qualquer informação sobre o plano de saúde.

“Nós nos importamos com o beneficiário, o colocamos no colo e cuidamos dele”, afirma a técnica administrativa Maria Auxiliadora Barroso, lotada na URR-RN, que atendeu Adilson e realizou, juntamente com a Gerência de Regulação, na sede da Operadora, os procedimentos para contratação do profissional e realização da cirurgia em tempo hábil.

Acolhimento

Segundo Adilson, a representação da Postal Saúde no estado foi, de fato, um grande apoio e o manteve informado de todo o processo, desde a contratação do especialista e marcação da cirurgia até a alta do hospital.

“A Postal Saúde me atendeu extraordinariamente bem. Recebi um atendimento exemplar, fraterno, próprio de quem se preocupa com o problema do outro e quer ajudar, resolver de verdade. Estou profundamente grato”, diz o carteiro, emocionado.

Na foto ao lado, Adilson e a família saindo do hospital, felizes da vida com a alta de Renzo

Alta

A cirurgia de Renzo foi um sucesso. Ele teve alta dia 1º de setembro e já completou um mês e meio de nascido, confirmando ao mundo o milagre da vida.

Leia também: Conheça seu plano: Internações não têm coparticipação no Correios Saúde II


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fotos: Arquivo da família