09/06/2015 - 10:56

Taxa de disponibilidade para acompanhamento de parto é ilegal

A POSTAL SAÚDE comunica que são consideradas indevidas as cobranças de “taxa de disponibilidade” (que é aquela que garante a presença do médico que realizou o pré-natal durante o parto), ou qualquer taxa extra, de prestadores à Beneficiárias, conforme definição da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

As Beneficiárias têm cobertura garantida pela POSTAL SAÚDE para todos os procedimentos listados no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS, entre eles o parto normal e as cesáreas.

Sendo assim, a Beneficiária tem o direito garantido de que o parto, seja normal ou por cesárea, será custeado em sua totalidade pela Caixa de Assistência, bem como os honorários médicos.

Informamos às Beneficiárias que quaisquer taxas cobradas pelo obstetra à gestante são ilegais. Caso se depare com cobranças desse ou de qualquer tipo, a Beneficiária deverá relatar o fato à POSTAL SAÚDE, por meio do 0800 888 8116 ou pela Unidade de Representação Regional (URR) mais próxima, que tomará as devidas providências.