Central do beneficiário

​Recadastramento de dependentes universitários vai até o dia 31 deste mês

Postado por Arlinda Carvalho em 14 Aug 2018 18:53



Prossegue até o dia 31 de agosto na Postal Saúde a campanha de recadastramento de dependentes universitários – filhos solteiros dos titulares do plano de saúde, maiores de 21 anos e menores de 24 anos, que cursam ensino superior. A validade do cadastro é semestral e a campanha teve início no dia 30 de julho.

Para atualizar os dados e garantir a manutenção da assistência médica e odontológica é necessário preencher o Termo de Inclusão e Renovação de Beneficiários Dependentes (FOP 148.03) e encaminhá-lo, juntamente com os outros documentos, aos canais disponibilizados pela Postal Saúde (ver abaixo “Documentos necessários” e “Canais de envio da documentação”).

Atenção! Aqueles que não se recadastrarem até o dia 31 de agosto terão o plano de saúde suspenso, conforme previsto no Manual do Beneficiário - Plano CorreiosSaúde II


Documentos necessários

• Cópia do RG;
• Cópia do CPF;
• Comprovação de dependência econômica: Declaração de Imposto de Renda (do próprio empregado ou do cônjuge) ou Declaração firmada pelo empregado, no caso dos isentos da Declaração de Imposto de Renda;
• Declaração de Matrícula no início de cada semestre; e
Termo de Inclusão e Renovação de Beneficiários Dependentes — FOP 148.03

Obs: Ao clicar no link acima, vá para a seção "Manuais, Formulários e Tabelas" e preencha o "FOP 148.03".


Canais de envio da documentação

Os canais disponíveis para o envio da documentação são:

• Caixa Postal 9555, CEP: 70.040-976 – Brasília/DF; ou

• Unidade de Representação Regional (URR) mais próxima da sua localidade. Encontre aqui a sua regional


Em caso de dúvidas, basta entrar em contato com a Central de Atendimento ao Beneficiário: 0800 888 8116 .


Por: Comunicação/Postal Saúde

Imagem: Stock Photos

Suspensão de atendimento de hospitais da Rede Next

Postado por Caio Melo em 14 Aug 2018 17:56


A Postal Saúde foi surpreendida, na última quinta-feira (9), com a suspensão unilateral do atendimento dos hospitais do Grupo Next, pertencentes à Rede América, a seguir listados:

• Hospital Abc Cirúrgica (Santo André – SP)
• Hospital Metropolitano Butantã (São Paulo – SP)
• Hospital Luz - Unidade Santo Amaro (Santo Amaro – SP)
• Hospital Ana Costa S/A (Cubatão – SP)
• Hospital Ana Costa S/A (São Vicente – SP)
• Hospital Ana Costa S/A (Praia Grande – SP)
• Hospital Ana Costa S/A (Guarujá – SP)
• Hospital Ana Costa S/A (Santos – SP)
• Hospital Pasteur (Rio de Janeiro – RJ)
• Hospital Vitória (Curitiba – PR)

Sobre o assunto, a Operadora esclarece que a suspensão não se deu por falta de pagamento, como está sendo divulgado em comunicações informais via WhatsApp, pois o pagamento desta rede encontra-se em dia. E reafirma que não foi notificada pelo grupo sobre essa decisão, com o agravante de não ter recebido qualquer resposta sobre o assunto em suas tentativas de contato.

De acordo com a sua política de transparência com o beneficiário, a Postal Saúde ressalta que tem o máximo de interesse em manter o melhor atendimento aos beneficiários das regiões atendidas por esses prestadores. Assim, a Operadora orienta os beneficiários residentes nestas regiões que busquem atendimento na sua rede credenciada e na Substituição de Prestadores.

A Postal Saúde salienta que adotará todas as medidas para solucionar o impasse, inclusive quanto aos reais motivos da suspensão, visando resguardar o atendimento aos seus beneficiários e as garantias contratuais vigentes.

Postal Saúde. Sua vida, nossa existência!

Informações sobre a mensalidade dos afastados

Postado por Caio Melo em 10 Aug 2018 17:37


Criação do plano CorreiosSaúde II

Após esgotadas todas as instâncias de negociação com os representantes dos trabalhadores, em 12 de março de 2018 a Seção Especializada em Dissídios Coletivos do TST – Processo nº DC-1000295-05.2017.5.00.0000 proferiu decisão sobre a revisão do custeio do Plano de Saúde (Cláusula 28 do ACT 2017/2018), tendo como principais termos:

• A cobrança de mensalidade de empregados e seus dependentes, conforme faixa remuneratória e etária;

• Proporcionalidade de pagamento das despesas com procedimentos assistenciais, sendo 30% para empregados e 70% para os Correios;

• Manutenção do plano de saúde para todos os pais e mães nos mesmos moldes anteriores por um ano, sendo que após este período serão incluídos em plano específico a ser negociado entre as partes interessadas;

• Isenção de coparticipação para internação; e

• Havendo lucro líquido no exercício anterior, os Correios deverão reverter 15% para o custeio das mensalidades dos beneficiários.

Para implementação das mudanças trazidas pela decisão, os Correios criaram o Plano CorreiosSaúde II, que agora atende aos titulares e seus dependentes legais – exceto pai e mãe. O plano manteve as mesmas regras e coberturas, mudando tão somente a forma de custeio. Os titulares que não desejaram ser migrados para o novo plano tiveram prazo para solicitarem sua exclusão ou de seus dependentes. Aqueles que não se manifestaram foram automaticamente migrados para o Plano CorreiosSaúde II em 18 de abril de 2018.

Cobrança da mensalidade e da coparticipação

Considerando a permanência de empregados afastados no Plano CorreiosSaúde II, com a consequente impossibilidade de desconto do valor da mensalidade e da coparticipação em folha de pagamento, a Postal Saúde informa que a cobrança será iniciada no mês de agosto, via boleto bancário, com data de vencimento em 20/8/2018.

A cobrança da mensalidade terá como competência o mês 07/2018, levando em consideração a última remuneração bruta recebida antes do fato gerador da licença.

Já no caso da coparticipação, é importante lembrar que o compartilhamento segue duas regras diferentes:

• Os atendimentos realizados antes do dia 18 de abril de 2018 seguem as regras anteriores à decisão do TST;

• Os atendimentos realizados a partir de 18 de abril de 2018 serão coparticipados conforme as regras já vigentes do CorreiosSaúde II, ou seja, haverá coparticipação de 30% sobre os procedimentos realizados, exceto internação, tendo como teto máximo para compartilhamento duas vezes o valor da remuneração recebida antes do fato gerador da licença. O desconto mensal decorrente desta despesa será limitado a até 5% da remuneração líquida do titular, em sucessivas parcelas até a sua liquidação.

O saldo da cobrança das mensalidades referente aos meses de abril (proporcional a 13 dias), maio e junho será dividido em até 6x sem juros, em boletos sequenciais com vencimento para o dia 20 de cada mês. Os boletos serão encaminhados juntos.

Caso tenha dúvida quanto ao valor a ser cobrado de mensalidade, entre em contato com a Central de Atendimento - 0800 888 8116 ou 0800 888 8117 para deficiente auditivo.

Para gerar a segunda via do seu boleto clique aqui.

Brasil e mais onze países assinam documento para prevenção e enfretamento do AVC

Postado por Arlinda Carvalho em 10 Aug 2018 10:25

A cooperação internacional para avançar nas estratégias de combate ao AVC foi firmada pelo Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai. O Encontro Ministerial Latino-americano de Acidente Vascular Cerebral (AVC) aconteceu em Gramado(RS), entre os dias 2 e 4 de agosto, reunindo os maiores experts em doenças cerebrovasculares.

A doença é a segunda causa de morte na maior parte desses países. Atualmente, o Brasil é referência no tratamento do AVC para os demais países da América Latina, já dispondo de Linha de Cuidados em AVC estabelecida como política pública de saúde.

“Nós estamos de uma forma muita clara, objetiva e, principalmente, junto à Sociedade Brasileira de Neurologia verificando tudo aquilo que é necessário dentro da linha de cuidados para avançar cada vez mais no atendimento a pacientes vítimas de AVC”, explicou o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis, durante a apresentação das ações realizadas pela pasta para prevenção, tratamento e reabilitação das pessoas acometidas pelo AVC. Na ocasião, o secretário representou o ministro da Saúde do Brasil.



Carta de Gramado

Na Declaração, os países se comprometem em: proporcionar educação da população quanto aos sinais de alerta, urgência no tratamento e controle dos fatores de risco; promover ambientes seguros e saudáveis para estimular a realização de atividade física; implantar políticas para o controle do tabaco; estimular a alimentação saudável, para reduzir o consumo de sal, uso prejudicial de álcool e controlar o peso; visando diminuir a incidência de doenças cardio e cerebrovasculares.

Os compromissos também incluem estabelecer estratégias de detecção de fatores de risco tratáveis como hipertensão, fibrilação atrial, diabetes e dislipdemias; promover a atenção, visando ao controle dos fatores de risco tratáveis; organizar o atendimento pré-hospitalar, priorizando o paciente com AVC; priorizar a estruturação de centros de AVC, organizar unidades de AVC com área física definida e equipe multidisciplinar capacitada, disponibilizar tratamentos de fase aguda baseados em evidência, disponibilizar exames para investigação etiológica mínima, promover alta hospitalar para prescrição de prevenção secundária, estimular o uso de telemedicina nos hospitais sem acesso e especialista em tempo integral para orientação do tratamento agudo.

O próximo passo em relação ao encontro ministerial será encaminhar a Carta de Gramado para todos os países que a assinaram para que possam implementar as recomendações estabelecidas.

Acesse aqui a íntegra do documento

Panorama do AVC no Brasil

Anualmente doenças cardiovasculares, respiratórias crônicas, diabetes e câncer respondem por 74% dos óbitos e são a primeira causa de mortes no país. Estatísticas Brasileiras indicam que a doença é a causa mais frequente de óbito na população adulta (10% dos óbitos) e consiste no diagnóstico de 10% das internações no Sistema Único de Saúde (SUS).

Em 2016 foram 188.223 internações para o tratamento de AVC isquêmico e hemorrágico no SUS. Sobre as mortes, a pasta registrou em 2016, no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), 40.019 óbitos por AVC.

Avanços no SUS

O Ministério da Saúde lançou o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), que tem a expansão da Atenção Básica como uma das principais ações de enfrentamento, uma vez que nessa área é possível resolver até 80% dos problemas de saúde. O conjunto de ações do Governo Federal, com expansão do acesso a serviços de saúde, diagnóstico precoce e tratamento, além das ações de promoção da saúde, como a redução do sódio e do açúcar nos alimentos, já impacta na queda de óbitos precoce por Doenças Crônicas Não Transmissíveis, entre elas, o AVC.

Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde mostra uma redução anual de 2,6% da mortalidade prematura por doenças crônicas entre adultos (30 a 69 anos). Com isso, o Brasil já cumpre a meta para reduzir mortalidade por doenças crônicas parte do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil 2011-2022. A meta inicial era de reduzir as taxas de mortalidade prematuras em 2% ao ano até 2022.

Para o atendimento especializado, atualmente são 60 estabelecimentos habilitados como Centros de Atendimento de Urgência aos Pacientes com AVC. Com foco na reabilitação de pacientes com lesões neurológicas devido a doença, desde 2012, o Ministério da Saúde habilitou 203 Centros Especializados em Reabilitação (CER) em todo o país, além de 36 Oficinas Ortopédicas.


Fonte: Ministério da Saúde
Imagens: Stock Photos

8 de agosto: Dia Nacional de Prevenção do Colesterol

Postado por Arlinda Carvalho em 08 Aug 2018 10:05



O que é colesterol

O colesterol é um componente estrutural das membranas celulares em nosso corpo e está presente no coração, no cérebro, no fígado, nos intestinos, nos músculos, nos nervos e na pele. Desempenha funções essenciais em nosso organismo, como a produção de alguns hormônios, tais como vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras.

Os tipos mais comuns de colesterol são:

• HDL (High Density Lipoprotein ou lipoproteína de alta densidade), conhecido como "colesterol bom".

• LDL(Low Density Lipoprotein, ou lipoproteína de baixa densidade), conhecido como "colesterol ruim ou mau colesterol".

O colesterol bom (HDL) tem a função de retirar o colesterol mau do corpo e levá-lo para o fígado. Ao chegar no fígado, ele será metabolizado e eliminado do organismo.

Já o colesterol ruim (LDL) é perigoso, pois leva ao acúmulo de placas de gordura nas paredes internas das artérias, diminuindo o fluxo de sangue para órgãos importantes, como o coração e o cérebro, podendo levar ao aparecimento de doenças cardiovasculares, como infarto e derrame, por exemplo.

Principais causas

Muitos fatores podem contribuir para o aumento do colesterol, como: tendências genéticas ou hereditárias, obesidade, idade, gênero, diabetes e sedentarismo. No entanto, um dos fatores mais comuns é a dieta, já que 30% do colesterol do nosso organismo é proveniente na nossa alimentação. As gorduras, sobretudo as saturadas, presentes em alimentos de origem animal, contribuem para a elevação do colesterol sanguíneo.

Sintomas e exames

O colesterol alto é uma doença silenciosa. Logo, a sua identificação ocorre somente com realização de exames de sangue, que devem realizados a pedido do seu médico. A Postal Saúde incentiva a realização de exames preventivos para manter a saúde em dia. Nesse sentido, coloca à disposição dos beneficiários vários estabelecimentos credenciados para o atendimento. Para buscar um credenciado, acesse o site www.postalsaude.com.br, vá para o guia.saúde (localizado no lado superior direito do monitor) e preencha os campos solicitados.

Tratamento e cuidados após o diagnóstico

Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e grãos evita o aumento do colesterol, assim como praticar exercícios físicos e evitar o fumo e o estresse. Em muitos casos, é indicado o uso contínuo de medicamentos.

Dicas para fugir do colesterol alto:

1. Pratique atividade física: exercícios regulares “queimam” gordura acumulada no organismo e baixam o nível do colesterol

2. Evite a gordura: o consumo diário de carne vermelha (característica de muitos brasileiros) aumenta o risco. Carnes com muita gordura, pele de frango e frituras também devem ser evitados

3. Tenha uma alimentação saudável: hábitos alimentares saudáveis ajudam a regular o colesterol. Consuma alimentos in natura e minimamente processados como cereais integrais, frutas, legumes e verduras.

4. Fuja do tabagismo: o fumo potencializa os riscos de doenças cardiovasculares

5. Faça um acompanhamento com profissionais de saúde: esse acompanhamento ajuda a identificar fatores de risco e auxiliam no controle do colesterol alto


Fontes:
Sociedade Brasileira de Cardiologia
Portal Saúde Brasil do Ministério da Saúde
Foto: Stock Photos























​Lei Maria da Penha completa 12 anos

Postado por Arlinda Carvalho em 07 Aug 2018 15:39

A Postal Saúde, comprometida com a ética e a dignidade da pessoa humana, estimula ações de divulgação de informações no site e na intranet sobre a defesa dos valores éticos e dos princípios de dignidade da pessoa humana, bem como do direito das mulheres a uma vida plena, com saúde e sem violência.

Para celebrar os 12 anos de sanção da Lei Maria da Penha nesta terça-feira (7), divulgamos a programação que ocorrerá na capital federal, Brasília, com participação de representantes governamentais e da sociedade civil organizada.

As atividades incluem premiação do concurso de Ilustrações Lei Maria da Penha; lançamento do 2º concurso de vídeos da Lei Maria da Penha; abertura das inscrições da Medalha Mietta Santiago; e realização de duas pautas Femininas, para discutir “A Violência Política contra a Mulher” e “Respostas para o Enfrentamento da Violência contra as Mulheres Negras”.

Debates

Em destaque, haverá a realização consecutiva, terça-feira (7/8) e quarta-feira (8/8) e de duas Pautas Femininas, audiência pública realizada mensalmente pela Procuradoria Especial da Mulher do Senado (ProMul) e pela Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados.

Na terça-feira, às 14h, quatro convidadas discutirão o tema “A violência contra a mulher na política”: Cristiane Brito (Vice-Presidente da Comissão de Direito Eleitoral/OAB), Flávia Biroli (professora e pesquisadora/UnB). Lúcia Rincón (União Brasileira de Mulheres). Noëlle Silva (mestre em Ciência Política/UnB).

Na quarta, feira, também às 14h, com o tema “Respostas para o Enfrentamento da Violência contra as Mulheres Negras”, Fernanda Lira Goes (Representante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Ilka Teodoro (Diretora Jurídica da Associação Artemis contra a Violência Doméstica e Obstetrícia). Juvenal Araújo Júnior (Secretário Nacional da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial). Marina Melo Arruda Marinho (Analista Técnica – DAGEP/Ministério da Saúde) e Soraia da Rosa Mendes (Coordenadora Nacional do Comitê Latino Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher) discutirão porque as mulheres negras estão morrendo mais que as brancas.

Concursos

Na terça-feira, às 18h, o poeta e músico cearense Tião Simpatia, famoso por transforma em versos de cordel a Lei Maria da Penha, será um dos destaques da cerimônia de premiação Concurso de Ilustrações sobre a Lei Maria da Penha, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados. A solenidade também marcará o lançamento do 2º concurso de vídeos “1 Minuto contra a Violência”, promovido pela Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher, Abertura virtual da edição 2018 da Medalha Mietta Santiago, promovido pela Secretaria da Mulher (CD).

Em parceria com o Instituto Brasileiro de Políticas Públicas (Ibrapp), a ProMul produziu o folder “Mulheres a caminho das urnas”, cujas informações complementam produto anterior, “Política também é coisa de mulher”, que conscientizava as mulheres sobre a necessidade de se fazerem presentes no Parlamento. Além de socializar informações sobre as novas regras eleitorais, o novo folder chama a atenção para importância de eleger candidatas negras e indígenas.

Confira o cronograma de Atividades

A Lei Maria da Penha

Conhecida pelo nome popular de Lei Maria da Penha, a Lei nº 11.340 — que pune os autores de violência no ambiente familiar — foi sancionada em agosto de 2006 e representa um importante marco para a defesa dos direitos das mulheres no Brasil.

O nome popular foi dado em homenagem à farmacêutica Maria da Penha Fernandes. Em 1982, seu marido tentou assassiná-la duas vezes. Na primeira, ela ficou paralítica após levar um tiro nas costas. Apesar do crime, o julgamento contra o ex-marido transcorreu lentamente e Maria da Penha decidiu, em 1998, denunciar o caso à Corte Interamericana de Direitos Humanos. O Brasil foi condenado pela Corte, que recomendou a criação de uma legislação para prevenir e punir casos de violência doméstica.


Por: Comunicação/Postal Saúde, com informações do Portal do Senado Federal
Foto: Stock Photos

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7