Central do beneficiário

Orientações aos beneficiários na hora de solicitar um atendimento de saúde

Postado por Arlinda Carvalho em 22 Aug 2019 10:03




Quando o beneficiário necessita de atendimento de saúde, a primeira coisa que faz é buscar um profissional ou estabelecimento da rede credenciada da Postal Saúde. Chegando lá, o prestador verifica se o procedimento tem cobertura pelo plano de saúde e solicita à Operadora uma senha de autorização para realizar o atendimento (consulta, exame ou tratamento). E aguarda a análise do pedido pela Operadora.


No entanto, quando o pedido chega à Postal Saúde, nem sempre o prestador envia todos os dados e documentos necessários para que a análise seja feita de forma segura para a saúde do beneficiário.


Nesses casos, a Operadora informa ao prestador que a solicitação aguarda o envio de documentação para análise. Durante esse processo, o beneficiário pode acompanhar o “status” de sua solicitação.


Confira as orientações da Postal Saúde aos beneficiários na hora de buscar um atendimento de saúde e de como acompanhar o andamento do seu pedido:


  • Escolha o prestador de serviços (clínica, hospital, laboratório) onde você realizará o procedimento;
  • Verifique a data de validade do pedido médico, que não pode ultrapassar 30 dias da solicitação;
  • Compareça ao atendimento marcado de posse de CIB (Cartão de Identificação do beneficiário) e documento pessoal com foto;
  • É importante retirar os resultados dos exames e levá-los o quanto antes ao médico. Quanto mais tempo transcorrer entre a data do exame e o retorno à consulta, menos precisa será a avaliação médica;
  • Antes de deixar o consultório, verifique se o pedido de exame contém o nome e o CRM do profissional e a descrição do procedimento. Para exames mais complexos, é exigida a hipótese diagnóstica. A falta dessas informações impedirá a realização do serviço, pois o prestador necessita informar esses dados para realizar o atendimento;
  • Se a solicitação estiver aguardando análise da Postal Saúde, saiba que o status de sua senha pode ser consultado pelos seguintes meios:

    1. Presencialmente na Unidade de Representação Regional – URR

    Os contatos das filiais da Postal Saúde em sua região podem ser localizados acessando o site da Postal Saúde. Encontre a Postal Saúde nos estados. Ao acessar o link, clique no mapa ou na lista de estados para visualizar os dados.

    2. Site da Postal Saúde – Ambiente Minha Postal

    Outro canal que o operador pode informar ao beneficiário é o ambiente Minha Postal . Ao acessá-lo, informe seu CPF e a senha, que deverá ser criada no primeiro acesso.

    3. Aplicativo Mobile – Minha Postal

    Ao baixar gratuitamente o aplicativo no celular (disponível nas lojas do Google Play), o beneficiário terá acesso às informações sobre o status de sua solicitação, com uma vantagem: o aplicativo pode ser acessado de qualquer lugar.

Em caso de dúvidas, o beneficiário também pode ligar entrar em contato com a Central de Atendimento ao Beneficiário, pelo 0800 888 8116

Leia também outras matérias sobre seu plano de saúde:

Negativas de autorização:Por que ocorrem e o que fazer?

Ajude a fiscalizar seu plano de saúde

Como funciona a solicitação de diárias para internações

Ajude a fiscalizar seu plano de saúde

É preciso solicitar senhas para urgências e emergências?

Inclusão de filhos recém-nascidos, adotivos e novos cônjuges no CorreiosSaúdeII

Saiba como usar seu plano de saúde de forma consciente

Entenda como funciona a garantia de atendimento

Atendimentos de urgência e emergência são iguais?

Confira o prazo para incluir recém-nascido no plano

Saiba como fica o plano de saúde para quem aderiu ao PDV dos Correios

Conheça os canais de comunicação da Postal Saúde

Ouvidoria da Postal Saúde lança nova versão online

Conheça o seu plano: o que é uma glosa?


Por: Comunciação/Postal Saúde
Foto: Stock Photos



​Colesterol: o consumo em excesso é que faz mal à saúde

Postado por Arlinda Carvalho em 20 Aug 2019 10:59


Visto como “vilão” e muitas vezes eliminado pelas dietas mais radicais, o que poucos sabem é que o colesterol é essencial para o nosso organismo, pois ele tem funções eficazes.

“O colesterol é importante, por exemplo, na formação dos hormônios sexuais, ele é fundamental na constituição do nosso sistema nervoso central, na formação dos neurônios. Só que o colesterol em excesso, é também responsável por uma série de doenças, principalmente as cardiovasculares”, explica André Telis, médico cardiologista do Hospital Universitário da Universidade Federal da Paraíba e vinculado à Rede Ebserh.

Mas o que é colesterol? É considerado um tipo de gordura (lipídio) produzido pelo organismo, que desempenha funções essenciais como a produção de hormônio.

LDL: o colesterol ruim

Nosso sangue transporta colesterol de duas formas básicas: o LDL, Lipoproteinas de Baixa Densidade que é responsável pelo transporte de colesterol, produzido pelo fígado, para as células, onde serão utilizadas. É conhecido como ruim por entrar nas artérias e provocar o entupimento.

Se existir excesso de LDL na circulação, sem aproveitamento pelas células, aumenta o risco de aterosclerose (entupimento das artérias pela gordura). Por isso o LDL é chamado de "mau" colesterol.

HDL: o bom colesterol

Já o HDL, Lipoproteinas de Alta Densidade (HDL), é conhecido como bom, porque retira o excesso de colesterol das artérias, impedindo seu depósito e diminuindo a formação da placa de gordura. É responsável por retirar o excesso de colesterol da circulação, levando de volta para o fígado. Por essa função, ele é considerado como "bom" colesterol.

Hereditariedade

Um dos motivos da alteração dos níveis de colesterol é o consumo excessivo de gordura saturadas e gordura trans, presentes em alimentos de origem animal, como carnes, ovos, derivados do leite, além de produtos ultraprocessados como biscoitos, margarina, salgadinhos de pacote, comidas congeladas, bolos prontos e sorvete.

Mesmo quem não costuma comer muitos alimentos industrializados e gordurosos pode ter problemas com o colesterol. Além desses fatores, a hereditariedade pode determinar um colesterol alto mesmo em pessoas de hábitos saudáveis.

Alimentação saudável e exercícios físicos

Para manter o colesterol controlado e a saúde em dia, faça exames regulares, mantenha uma alimentação adequada e saudável e pratique exercícios físicos.

O controle e tratamento das DCV e seus fatores de risco envolvem, além da prescrição de medicamentos, mudanças no estilo de vida, como a prática de atividade física e a adoção de uma alimentação adequada e saudável, baseada na ingestão de alimentos in natura ou minimamente processados.

Orientação alimentar

Para lembrar o Dia Nacional do Combate ao colesterol, 8 de agosto, o Ministério da Saúde disponibiliza a publicação: Alimentação Cardioprotetora: Manual de orientações para profissionais de saúde da Atenção Básica ou Dica BR.

A publicação orienta e apoia a segurança alimentar e nutricional dos brasileiros, além de colaborar com os profissionais de saúde na orientação da alimentação de indivíduos portadores de fatores de risco cardiovasculares.

Também está em sintonia com as recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira, incluindo em suas orientações apenas alimentos in natura, minimamente processados e processados.

A Dica BR pode ser feita por qualquer pessoa, mas é indicada especialmente para indivíduos com excesso de peso ou obesidade; pressão alta; diabetes; colesterol alto; triglicérides alto; histórico de infarto e cirurgia do coração (pontes safena ou mamária); histórico de derrame cerebral (AVC).


Fonte: Blog da Saúde do Ministério da Saúde
Imagens: Stock Photos

Depoimento: ​“Eu nasci de novo”, conta beneficiário carioca

Postado por Arlinda Carvalho em 19 Aug 2019 10:24

Ronaldo na Postal Saúde do Rio: "sempre bem tratado"

O que parecia uma simples erupção na pele tornou-se um grave problema de saúde para o agente de Correios Ronaldo Gustavo Victorino, 63 anos. O episódio, já superado, ocorreu em 2013, na cidade do Rio de Janeiro, mas deixou sequelas na vida do trabalhador.

Ele conta que era uma sexta-feira e ajudava a cimentar a caixa d’água da casa de sua irmã, que logo tratou de providenciar o churrasco para aproveitar com descontração aquela reunião familiar — uma cena típica de muitos lares brasileiros. Até aí tudo bem. Mas o inusitado aconteceu.

O cimento salpicou na perna de Ronaldo, e o local começou a coçar e a incomodar. Ao limpar a área, ele percebeu que havia fezes de gato misturadas na massa de cimento. Passaram-se os dias e uma erupção se formou. “Não era uma ferida, era como uma queimadura”, relata o beneficiário. “Eu achava que ia passar, mas três meses depois a ferida continuava e eu comecei a passar mal. Sentia tontura, vista turva e dor na região abaixo do abdômen”.

Ronaldo conta que foi então levado às pressas para o hospital. Lá chegando, foi atendido pelo infectologista de plantão, pois o quadro insinuava uma grave infecção.

“Cheguei lá com febre de 39 graus e minutos depois perdi os sentidos. Fui encaminhado para a UTI, onde permaneci por cinco dias. Recebi transfusão de sangue e fui submetido a uma série de exames para saber o diagnóstico, que confirmou ser uma doença transmitida pelas fezes de gato”. Em seguida, ele passou por uma cirurgia na bolsa escrotal para retirar um dos órgãos comprometidos e permaneceu internado por 45 dias, até receber alta.

Atendimento eficaz

“Depois dessa experiência, eu nasci de novo”, relata Ronaldo. “A Postal Saúde representa muito para mim. Ter um plano de saúde é uma mão na roda, principalmente na minha idade, quando os problemas começam a aparecer”.

O beneficiário lembra de outra situação em que também foi salvo pelo plano de saúde, desta vez no ano de 1997.

“Naquela época eu jogava pelada com os amigos e praticava natação, mas o problema é que eu fumava e fui surpreendido com uma dor fulminante no peito. Era um infarto. Fui atendido na emergência pelo plano de saúde e graças a Deus escapei vivo. A partir dali, aconselhado pelo médico que me atendeu, abandonei completamente o vício, que poderia custar a minha vida”.

Recentemente, ele foi surpreendido com a febre Chikungunya, uma infecção causada pelo vírus de mesmo nome que provoca sintomas como aumento na temperatura corporal e mal-estar e fortes dores nas articulações. A doença é transmitida pela picada de dois mosquitos, o Aedes aegypti, comum nas cidades brasileiras, e o Aedes albopictus, mais restrito a locais com larga vegetação.

“Mais uma vez precisei do plano de saúde. Fui atendido no Hospital Memorial e ainda estou em tratamento médico”, conta Ronaldo, que sofre de hipertensão, diabetes e apresenta sobrepeso. Além disso, o beneficiário afirma que costuma usar o plano de saúde de forma periódica para realizar os exames preventivos, que incluem consultas, exames laboratoriais e de imagens, quando necessário.

Conscientização

Consciente de que deve cuidar da saúde e promover uma mudança de hábitos, ele diz que deixou de comer alimentos gordurosos e aderiu a uma dieta mais saudável. “Já perdi 20 quilos. Antes estava com 112”, relata o beneficiário, morador do bairro Tomás Coelho, na zona norte da capital carioca.

Quanto à atividade física, ele afirma que seu ofício o ajuda a não deixar o corpo parado. “Eu e outro colega somos responsáveis por apagar as luzes dos 29 andares do edifício-sede dos Correios aqui no Rio e também desligar os elevadores, o que é feito de forma gradativa a partir das 17h30”, acrescenta Ronaldo, detalhando uma espécie de “maratona” que só termina por volta das 20h. “É tranquilo. Gosto muito do que faço”, garante.

Ao receber informações sobre o programa Saúde em Dia, voltado aos beneficiários com alguma doença crônica (como hipertensão, diabetes, obesidade, entre outras), ele ficou animado com a ideia de ter um acompanhamento sistemático por uma equipe especializada. “A Postal Saúde aqui no Rio já me passou os contatos para eu fazer meu cadastro no programa”, alegra-se.

Definindo-se como “pai solteiro”, ele recorda que seu filho Robson Gustavo, hoje com 17 anos, também precisou usar o plano de saúde em uma emergência. “Ele tinha 8 anos quando sofreu uma ruptura no tendão de Aquiles provocada pela linha de uma pipa. Passou por uma cirurgia e deu tudo certo”, relembra Ronaldo.

“Sou muito grato ao plano de saúde dos Correios. Todas as vezes que precisei sempre fui muito bem tratado”, conclui o beneficiário.


Por: Comunicação/Postal Saúde
Foto: Arquivo pessoal

Ajude a fiscalizar o seu plano de saúde

Postado por Filipe em 16 Aug 2019 15:42

A transparência nas contas faz parte da rotina da Postal Saúde e é um dos valores da Operadora. Esse trabalho é facilitado por meio de auditorias externas e internas, além da fiscalização promovida pelos próprios beneficiários.

Mas como o beneficiário participa desse processo?

Ao acompanhar o passo a passo dos seus atendimentos, os próprios beneficiários ajudam a controlar os gastos. Horários, tabelas de materiais e de procedimentos, por exemplo, podem mudar dependendo do local.

Por isso, para conhecer um pouco mais sobre como participar ativamente do controle dos serviços oferecidos pela Postal Saúde e pela rede credenciada, assista ao vídeo a seguir:



Quer saber informações de sua Operadora na palma da mão? basta baixar gratuitamente o aplicativo da Postal Saúde nas lojas da Google Play e AppStore. Com o app instalado, você poderá consultar em qualquer lugar, 24 horas do dia, a rede credenciada, o seu cartão de identificação do beneficiário, os extratos de mensalidade e coparticipação, consultar reembolso e autorizações, e muito mais! É só pesquisar por Postal Saúde.

​Postal Saúde reforça parceria com a SF Odontologia e reestrutura atendimento odontológico em oito estados

Postado por Pollyana Gadelha em 15 Aug 2019 18:08

Com o intuito de reforçar o atendimento aos beneficiários, ampliar a rede credenciada e melhorar a qualidade dos serviços prestados — logrando, ao mesmo tempo, a redução de custos —, a Postal Saúde remodelou o convênio de reciprocidade com a Rede de Odontologia São Francisco nos estados abrangidos pela parceria: São Paulo (interior e região metropolitana), Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

O atendimento pela São Francisco traz benefícios tanto para a Postal Saúde quanto para os beneficiários. Por ser uma rede especializada em odontologia e com cerca de 8 mil profissionais credenciados em todo o país, sendo 6 mil nos estados abrangidos pela parceria, haverá redução de custos em decorrência da alta adesão dos beneficiários atendidos.

O convênio será acompanhado sistematicamente pelos gestores da Postal Saúde e, se os resultados forem satisfatórios, o modelo será estendido para outros estados, de forma a atender o maior número possível de beneficiários.


Capilaridade

O sistema São Francisco Saúde presta assistência médica e odontológica para cerca de 1,8 milhão de beneficiários. De abrangência nacional, o beneficiário terá mais opções de atendimento, pois o contrato abarcará várias localidades que hoje têm carência de profissionais.


Além disso, a São Francisco atua em todas as especialidades odontológicas, como periodontia, odontopediatria e prótese dentária. Além do atendimento com profissionais especializados, o beneficiário terá à sua disposição ainda mais opções de clínicas odontológicas e de radiologia.

Estratégia alinhada às melhores práticas de mercado

A estratégia da Operadora vai ao encontro da lógica do setor de saúde, que tem buscado novas formas de gerenciamento para ampliar a capilaridade e melhorar os serviços prestados, ao mesmo tempo em que reduz custos.

Portanto, o beneficiário terá uma dupla vantagem, para a saúde e para o bolso, pois além de contar com uma rede mais ampla de atendimento e com profissionais qualificados, ele pagará cerca de 20% a menos na São Francisco Odontologia, comparando com a tabela vigente da Postal Saúde.

Diferencial da tabela

Esse diferencial na tabela da São Francisco só é possível devido ao ganho de escala alcançado pela alta utilização da rede odontológica. Enquanto a rede credenciada da Postal conta com cerca de 1.600 prestadores nos estados abrangidos pelo convênio, a São Francisco Odontologia conta com aproximadamente 6 mil, o que, na lógica de mercado, permite que as negociações de preço com os prestadores alcancem considerável redução nos valores cobrados em cada estado.


Para se ter uma ideia dessa diferença, pela tabela da São Francisco o valor médio cobrado por uma consulta odontológica no Rio Grande do Sul, por exemplo, é de R$ 32,27; enquanto na tabela da Postal o custo é de R$ 45,49 (41% a mais).


Outro exemplo: uma raspagem supra gengival, que na tabela da Postal Saúde sai por R$ 92, na São Francisco custa R$ 73,70; 20% menos. A economia, que pode ser ainda maior — a depender do estado onde o procedimento for realizado —, refletirá no valor da coparticipação pago pelos beneficiários em cada procedimento.

Tratamentos odontológicos em andamento

Os beneficiários que se encontram em tratamento odontológico, com autorizações emitidas, podem ficar tranquilos, pois haverá um prazo de 90 dias para eles concluírem o tratamento com o seu próprio dentista, que também poderá integrar a rede São Francisco Odontologia, como já ocorre com a maioria dos profissionais credenciados da Postal Saúde.

Esse é mais um dos pontos positivos da parceria: os profissionais ou estabelecimentos odontológicos que atualmente atendem pela Postal Saúde poderão solicitar credenciamento na São Francisco. A Operadora irá incentivar e dar a oportunidade a todos que se disponham a participar da rede. Devido à sua alta capilaridade e grande adesão da população atendida, a rede é vantajosa também para os profissionais de odontologia, que terão a carteira de clientes ampliada.

Carteirinhas

O atendimento na rede São Francisco poderá ser feito utilizando tanto a carteirinha da São Francisco (já encaminhada para as residências dos beneficiários) quanto a da Postal Saúde, ou até mesmo informando o número do CPF do beneficiário.


Em caso de não recebimento da carteirinha São Francisco o beneficiário poderá, se assim o desejar, solicitar por meio da Central de Atendimento ao Beneficiário (0800 888 8116) ou entrar em contato com a Postal Saúde de seu estado. A São Francisco será responsável pela emissão e pelo envio do documento, sem nenhum custo para a Postal Saúde ou para o beneficiário.

Consulta da Rede

Os serviços da Rede Odontológica São Francisco podem ser consultados no site da Postal Saúde. Para tanto, basta acessar o Guia Saúde, localizado no canto superior esquerdo do monitor, escolher a opção “Odontologia” e preencher os campos solicitados. A consulta também pode ser feita pela Central de Atendimento ao Beneficiário da Postal Saúde, pelo 0800 888 8116 ou pela Central de Atendimento da Rede Odontológica São Francisco, pelo número 0800 18 34 56 .


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fonte: GERAT/Postal Saúde
Foto: Stock Photos


Baixe o APP da Postal Saúde

Para sua comodidade e praticidade, baixe o aplicativo da Postal Saúde no seu aparelho celular. O APP está disponível para androides e iPhones. Para baixá-lo, acesse gratuitamente as lojas do Google Play ou da Apple Store . Depois, é só usufruir da praticidade que a ferramenta oferece.

Retorno do sarampo: saiba quem deve se vacinar

Postado por Arlinda Carvalho em 12 Aug 2019 15:16

O sarampo voltou a circular Brasil. Três estados estão registrando casos ativos da doença. O estado de São Paulo concentra 90% dos casos.

Para prevenir o aparecimento de novos casos, o Ministério da Saúde está recomendando a vacinação de reforço para crianças de seis meses a menores de um ano, que moram ou vão viajar para locais onde há surto de sarampo. Essa vacinação deve ser feita pelo menos 15 dias antes da data prevista para a viagem. A lista de municípios está disponível no site www.saude.gov.br/sarampo.

É importante ressaltar que essa é uma dose extra da vacina, portanto, não deve interferir na rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação. Todas as crianças do país devem continuar seguindo a orientação do Calendário Nacional de Vacinação: tomar a tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose), tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela.

Todos as pessoas de 1 a 49 anos de idade devem estar vacinadas contra sarampo. O esquema de vacinação é diferente de acordo com a idade.

Para esclarecer como deve ser a vacinação contra o sarampo, o Diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, Júlio Croda responde à TV Saúde as principais dúvidas sobre o assunto. Assista aqui!


Por: Comunicação/Postal Saúde
Fonte: Ministério da Saúde





1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9