Central do credenciado

​Solicitação de autorização de procedimento para especialidades e serviços não contratados pela Postal Saúde

Postado por Filipe em 02 Jul 2020 11:22

A Postal Saúde utilizará os padrões e regramentos estabelecidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), para todos os fins relacionados a:

- Cobertura mínima obrigatória, regida atualmente pela Resolução Normativa - RN Nº 428, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2017, que atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, referência básica para cobertura assistencial mínima nos planos privados de assistência à saúde.

- Codificação, nomenclatura e prazos de vigência dos procedimentos médicos e odontológicos previstos na Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS), divulgada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS);


O Credenciado deverá observar a cobertura de procedimentos prevista para cada plano do Beneficiário da Postal Saúde, que essencialmente corresponde ao rol de cobertura mínima obrigatória estabelecida conforme RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 428, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2017 ou coberturas pelo plano do Beneficiário. Estas informações poderão ser confirmadas na tabela de cobertura disponível em: https://d2kc6373olxhzl.cloudfront.net/pdfs/TABELA_...


Outro balizador de cobertura, além do Rol de Cobertura Mínima Obrigatória, é a previsão contratual estabelecida entre Postal Saúde e Rede Credenciada.

Caso o beneficiário busque atendimento para serviços em especialidades ou procedimentos não contratados na relação comercial entre Postal e Prestador, mas que tenham cobertura pelo Rol de cobertura mínima obrigatória ou pelo plano do Beneficiário, orientamos ao credenciado buscar atendimento da área de relacionamento da Filial da Postal Saúde no seu estado, para realizar uma avaliação negocial.


Sem a adequação em contrato, o Prestador terá sua solicitação de autorização negada, por não haver negociação específica para a prestação do serviço.

A seguir, reforçamos quais são os procedimentos excluídos da cobertura assistencial da Postal Saúde e que constam no Manual do Credenciado:

• Procedimentos destinados à inseminação artificial ou à fertilização in vitro e/ou à reprodução assistida, por quaisquer técnicas;

• Recanalização tubária;

• Exame de paternidade;

• Controle de natalidade contrário à ética médica;

• Consulta ou atendimento domiciliar, exceto no caso de internação domiciliar autorizada pelo médico da Postal Saúde e terapias seriadas em regime domiciliar;

• Fornecimento de próteses, órteses e seus acessórios não ligados ao ato cirúrgico;

• Fornecimento de materiais e medicamentos (importados ou não) prescritos para tratamento domiciliar, quando classificados para uso restrito em ambiente hospitalar;

• Tratamentos de rejuvenescimento e/ou emagrecimento com finalidade estética em qualquer tipo de estabelecimento;

• Internação hospitalar para tratamento clínico ou cirúrgico experimental, não reconhecido na prática médica;

• Tratamentos clínicos ou cirúrgicos ilícitos ou antiéticos, assim definidos sob o aspecto médico, ou não reconhecidos pelas autoridades competentes ou, ainda, cirurgias não previstas no Código Brasileiro de Ética Médica, segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM);

• Quaisquer exames ou tratamentos sem indicação médica prévia;

• Diárias hospitalares e despesas com acompanhante, exceto nos casos previstos em lei;

• Exames e procedimentos não previstos no rol de cobertura dos planos da Postal Saúde e não definidos pelo Rol de Procedimentos da ANS;

• Enfermagem em caráter particular, em residência ou não;

• Internação hospitalar para fins de repouso ou de assistência em caráter social (asilo, internato e outros); estada em estâncias hidrominerais e climáticas, mesmo por indicação médica; e clínicas para acolhimento de idosos e internações que não necessitem de cuidados médicos em ambiente hospitalar;

• Despesas consideradas extraordinárias na internação, tais como: aluguel de TV, ligações telefônicas urbanas e interurbanas de fixo ou celular, internet, canais fechados de TV, lavagem de roupa, refeições extras e outras;

• Confecção, compra, conserto, ajuste, aluguel de aparelhos destinados à complementação de funções, tais como colchões, cadeiras, elevadores e outros, exceto nos tratamentos de internação domiciliar devidamente autorizados;

• Remoção domicílio/hospital e vice-versa;

• Fornecimento de medicamentos e/ou produtos para a saúde produzidos fora do território nacional e sem registro vigente na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA);

• Casos de cataclismos, guerras e comoções internas, quando declarados por autoridade competente;

• Drenagem linfática, exceto nos casos de pós-mastectomia;

• Tratamento para infertilidade/esterilidade, exceto o previsto em norma específica da ANS e Lei do Planejamento Familiar (Lei nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996);

• Fornecimento de medicamentos prescritos durante a internação hospitalar cuja eficácia e/ou efetividade tenham sido reprovadas pela Comissão de Incorporação de Tecnologias (CITEC) do Ministério da Saúde;

• Trocateres descartáveis para cirurgia laparoscópica, exceto os destinados à realização da primeira punção, denominada “punção às cegas”;

• Parafuso reabsorvível;

• Procedimentos sem cobertura solicitados por similaridade;

• Solicitações de procedimentos que constarem nas tabelas praticadas pela Postal Saúde e/ou no Rol de Procedimentos da ANS e que não são apresentadas as documentações contidas na referida tabela;

• Todos os procedimentos que não constarem nas tabelas praticadas pela Postal Saúde e/ou no Rol de Procedimentos da ANS;

• Procedimentos não autorizados previamente pela Postal Saúde, em que conste a necessidade de autorização prévia, conforme tabela de cobertura;

• Tratamento clínico ou cirúrgico experimental ou que utilize medicamentos ou produtos para a saúde não registrados no país, bem como aqueles considerados experimentais pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) ou pelo Conselho Brasileiro de Odontologia (CBO) ou, ainda, tratamento com uso off label de medicamentos ou aqueles sem estudo clínico ou protocolos publicados;

• Quimioterápicos, quando solicitados de forma individual ou em composição com diversos medicamentos e que algum deles não faça parte dos protocolos e estudos médicos reconhecidos no Brasil.


A Postal Saúde tem como preocupação principal oferecer a máxima segurança em qualquer tratamento oferecido.


Todos os procedimentos cobertos, bem como qualquer outra informação relacionada à Rede Credenciada, podem ser consultados nos seguintes canais:

Central de Atendimento ao Credenciado: 0800 888 8118 de segunda a sexta, das 8h às 18h


Site da Operadora - Central do Credenciado, no link: http://www.postalsaude.com.br/credenciado




Cobranças parciais em casos de internação prolongada

Postado por Filipe em 18 Jun 2020 18:24

De acordo com o Manual do Credenciado, a instituição credenciada poderá, a cada 15 dias, concluir parcialmente a conta hospitalar e emitir a cobrança relativa àquele período de internação. Esse dispositivo é aplicável em internações prolongadas, mediante confirmação obrigatória do campo FECHAMENTO PARCIAL, conforme o Capítulo 20 – DA CONFIRMAÇÃO DE ADMISSÃO E ALTA NA INTERNAÇÃO, do manual.

  • No caso dos prestadores inseridos na rotina de auditoria externa, as parciais apresentadas à auditoria in loco deverão ser de, no mínimo, 15 dias de internação – obrigatoriamente.
  • O prazo é o mesmo para as parciais encaminhadas diretamente ao processamento, no caso dos prestadores que não possuem auditoria in loco.

Se os prazos não forem cumpridos, as parciais não serão auditadas ou serão devolvidas, respectivamente.

As empresas de auditoria externa que prestam serviço à Postal Saúde foram comunicadas que, a partir do dia 01/02/2020, deverão verificar a existência do Capeante ao fazer a análise das contas, de forma que estão autorizadas a se recusar a validar a documentação na falta do relatório conforme exposto no próximo tópico.

Funcionalidade do Autorizador Web para Comunicação de Internação, de Alta e de Cobranças Parciais

Nas solicitações de internação eletiva, a Postal Saúde emitirá uma Autorização Prévia com base na data provável da internação e o Prestador deverá realizar a comunicação da data de internação, de alta e de conta parcial como mecanismo de registro da entrada e saída do Beneficiário da Instituição de Saúde.

Para realizar a comunicação, o Credenciado deverá acessar o Autorizador Web, no site da Postal Saúde, e selecionar a opção “Comunicação de Internação” ou “Comunicação de Alta/Fechamento Parcial”. Maiores informações no Manual do Credenciado, capítulo 15, disponível no endereço http://www.postalsaude.com.br/manuais-formularios-...., ou por meio da Central de Autorização e Regulação - 0800 881 8080.

a) Ao clicar no menu de comunicação será exibida uma lista de todos os pedidos de autorização de internação que estiverem com o campo “Data da Internação” em branco, referentes ao Prestador em questão (conforme login do usuário). Os pedidos serão apresentados por ordem de antiguidade (do mais antigo para o mais recente), a partir da data da solicitação.

b) Em seguida, o Prestador deverá clicar no campo “Comunicar Internação” para fazer a inserção da data de admissão. Para finalizar, basta clicar na opção ‘Salvar alteração’.

1. Selecionar a opção Comunicar Internação:

2. Escolher a opção equivalente com o Tipo de Internação:

3. Em seguida no campo Histórico de Comunicações será visualizada a data e hora da internação:


Caso a conta do Beneficiário não tenha sido faturada, o Credenciado poderá realizar alteração dos dados necessários, bem como exclusão de registro através das opções:

  • Cancelamento de Comunicação de Internação; e


  • Cancelamento de Comunicação de Alta/Fechamento.



IMPORTANTE!

O Autorizador Web somente permitirá abertura de guia de prorrogação após o registro prévio da Comunicação de Internação. Na ausência deste registro o sistema emitirá o alerta abaixo:

A Comunicação de Alta validará automaticamente a quantidade de dias internados com a quantidade de dias autorizados facilitando assim a verificação de pendencias de autorizações nas diárias.

Nos casos de contas parciais, o sistema fará a validação utilizando como base a Data Efetiva da Internação e a Data de Fechamento Parcial informada de forma a contabilizar o período de permanência. Nos próximos fechamentos, a data inicial a ser utilizada será a data da última cobrança parcial realizada.

Para Cobrança Parcial ou Comunicação de Alta Hospitalar, ao realizar a comunicação no sistema, deverá ser impresso o relatório Capeante para conferência das informações dos eventos da internação (procedimentos, diárias, honorários, entre outros) autorizados, tanto pela Instituição de Saúde quanto pela Postal Saúde.

As equipes de auditoria da Postal Saúde, tanto in loco quanto interna analisarão as cobranças/contas com o devido relatório Capeante de Eventos Autorizados, por isso, solicitamos à rede credenciada que faça o encaminhamento do capeante impresso na composição da cobrança física.

Para os credenciados que não possuem auditoria de conta in loco, além das documentações já padronizadas no Manual do Credenciado, fica obrigatório o envio do referido Capeante.


O Manual de Orientações - Comunicação de Internação e Alta, está disponível no site da Postal Saúde – clique aqui

Coleta de material para detecção da Covid-19: saiba que tipo de exame é coberto pelo plano de saúde

Postado por Filipe em 05 Jun 2020 09:36



De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), apenas o exame Sars-Cov-2 (Coronavírus Covid-19) - Pesquisa por RT- PCR tem cobertura obrigatória pelos planos de saúde, devido à sua eficácia comprovada.


O RT-PCR (do inglês Reverse-Transcriptase Polymerase Chain Reaction) é considerado o “padrão-ouro” no diagnóstico da COVID-19. A confirmação é obtida pela detecção do SARS-CoV-2 na amostra analisada, por meio da coleta de secreções existentes nas vias respiratórias, como nasofaringe (nariz) e orofaringe (garganta). A explicação é da gerente de Regulação da Postal Saúde, Débora Elaine Fernandes.


“As demais modalidades de exame são realizadas por amostras de sangue, que detectam anticorpos produzidos pelo próprio organismo. São classificados como “exames de sorologia” e “testes rápidos”, que não são cobertos pelo plano de saúde”, complementa a gestora.


Ela esclarece, portanto, que a cobertura prevista é apenas para o procedimento 4.03.14.618-SARS-CoV-2 (CORONAVÍRUS COVID-19) - PESQUISA POR RT – PCR. As demais formas de detecção não constam no rol obrigatório de cobertura definido pela ANS.


Modalidades de coleta do material

Para orientar os beneficiários com suspeita da Covid-19 (que não se encontram internados nem se dirigiram ao pronto-socorro), a gestora informa que existem três opções para realizar a coleta de secreção para o exame Sars-Cov-2 (Coronavírus Covid-19) - Pesquisa por RT- PCR. São elas: em domicílio, via drive-thru ou em laboratório particular, se não houver prestador credenciado para fazer a coleta do material.


Nessa última situação, o beneficiário poderá solicitar o reembolso à Postal Saúde. “Vale lembrar que as regras de coparticipação seguirão as mesmas previstas no regulamento do plano”, observa Débora.


Prescrição digital

A gerente explica que, de acordo com o protocolo adotado durante o combate à Covid-19, os pedidos médicos para realização do exame podem ser digitalizados, contendo assinatura e carimbo do médico solicitante, e enviados por e-mail ao estabelecimento onde será realizado o exame.


“A forma de coleta fica a critério do prestador escolhido e do beneficiário”, assinala Débora. Ela lembra que o beneficiário deve sempre consultar a rede credenciada para saber qual a forma de coleta adotada.


Coleta domiciliar

É importante frisar que a coleta domiciliar é uma medida contingencial e de iniciativa de alguns laboratórios para evitar aglomerações nos locais de exame. Por isso, devido à dinâmica dos atendimentos e em função da proliferação do novo coronavírus, os prestadores estão sempre adequando os serviços às exigências do momento. Assim, a orientação é que o beneficiário entre em contato com a rede credenciada para saber se na sua região existe disponibilidade da coleta domiciliar.


Drive-thru

Além da coleta domiciliar, alguns laboratórios lançaram a modalidade de drive-thru, um serviço diferenciado no qual o material é coletado nos locais indicados pelo estabelecimento, sem a necessidade de sair do carro. Para saber se o serviço está disponível em sua localidade, o beneficiário também deve consultar a rede credenciada.


Reembolso

Como já explicado anteriormente, em caso de inexistência de prestador credenciado para fazer a coleta da secreção, o beneficiário poderá realizar o exame em um laboratório particular e solicitar o reembolso à Postal Saúde.


Pesquisa de prestador

A pesquisa dos prestadores pode ser feita no site da Postal Saúde (www.postalsaude.com.br) na aba Guia Saúde, localizada no canto superior direito do monitor .


Dúvidas? Ligue para a Postal Saúde

Em caso de dúvidas, entre em contato com a Central de Atendimento ao Credenciado, pelo 0800 888 8118 (de segunda a sexta, das 8h às 18h).


Caso não fique satisfeito com a resposta, você poderá recorrer à Ouvidoria, no 0800 888 8120. Além do atendimento telefônico, o contato com a Ouvidoria pode ser feito pelo endereço: www.postalsaude.com.br/ouvidoria


Por: Comunicação/Postal Saúde

Foto: 123 RF

​Postal Saúde adota Teleatendimento em saúde para proteger beneficiários da Covid-19

Postado por Filipe em 21 May 2020 17:31

A Postal Saúde, diante das orientações do Ministério da Saúde para evitar aglomerações como forma de proteger a população da Covid-19, decidiu aderir à modalidade de Teleatendimento em saúde, que passou a ser realizado pela Rede Credenciada com o objetivo de garantir o atendimento aos beneficiários nesta fase de pandemia.

O Teleatendimento profissional em saúde é um recurso tecnológico, aprovado pelo Conselho Federal de Medicina, que permite o contato à distância entre paciente e profissional assistente, na prática do cuidado à saúde. É, portanto, um método eficiente para auxiliar no combate à pandemia, seguindo as recomendações de distanciamento social feitas pelas autoridades de saúde.

É importante esclarecer que o teleatendimento em saúde (realizado por meios tecnológicos de comunicação à distância) não se caracteriza como nova cobertura de procedimentos, mas apenas como uma modalidade de atendimento não presencial, com o intuito de cumprir as coberturas obrigatórias. Nesse sentido, essa modalidade seguirá as regras de elegibilidade e cobertura, limites assistenciais e coparticipação, nos moldes já estabelecidos no regulamento de cada plano de saúde.

Como marcar a consulta

Caso algum beneficiário deseje marcar uma consulta na modalidade teleatendimento, o profissional de saúde deve ter aderido esse tipo de atendimento. Em caso positivo, o beneficiário deve enviar um e-mail ao credenciado com o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido Postal Saúde para Teleatendimento devidamente preenchido.

Esse formulário pode ser acessado no site da Postal Saúde, por meio do link http://www.postalsaude.com.br/manuais-tabelas-de-cobertura-e-formularios

Plano de contingência

Lembramos também que a modalidade de teleatendimento em saúde é uma medida temporária adotada pela Postal Saúde e que será válida somente no período em que vigorar a instrução de isolamento social. Portanto, essa forma de atendimento será finalizada assim que cessar o caráter emergencial de saúde pública no país e for retomado o fluxo padrão dos atendimentos presenciais na Rede Credenciada.

Em caso de dúvida, estamos à disposição dos prestadores, por meio dos nossos canais de atendimento (veja a seguir). Aproveitamos para pedir a compreensão de todos, pois nossas equipes estão trabalhando em plano de contingência, devido à situação atual de pandemia.

Apesar do panorama difícil, estamos envidando todos os esforços para prestar o melhor atendimento possível aos beneficiários e seus familiares dependentes do plano de saúde. O teleatendimento é uma das medidas adotadas para, juntos, enfrentarmos essa crise.

Orientações de saúde

A Operadora orienta também para que todos sigam as recomendações das autoridades de saúde quanto à necessidade do isolamento social, da higienização das mãos e dos cuidados de saúde, que servirão de barreira para prevenir a contaminação e a propagação do novo coronavírus.


Nossos canais de atendimento

Central de Atendimento ao Beneficiário: 0800 888 8116

24 horas por dia, 7 dias por semana

Central de Atendimento ao Credenciado: 0800 888 8118

De segunda a sexta, das 8h às 18h

Ouvidoria: 0800 888 8120

De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h

Site: www.postalsaúde.com.br

​Comunicado à Rede Credenciada: Cobertura de exames com prescrição digital

Postado por Arlinda Carvalho em 19 May 2020 14:33



A Postal Saúde informa a Rede Credenciada sobre a validade da prescrição de exames feita por meio eletrônico, para fins de cobertura do plano de saúde.

Em conformidade com as medidas preventivas divulgadas pelos órgãos federais e estaduais, referentes à Covid-19, no último dia 4 de maio a Diretoria Colegiada do órgão estabeleceu que os exames solicitados pelos médicos assistentes dos beneficiários dos planos de saúde, por meio digital, são equivalentes àqueles apresentados em receituário de papel.

Portanto, para a efetivação do atendimento, a prescrição digital deve ser aceita por laboratórios e instituições que realizam procedimentos de análises clínicas e terapêuticos.

Confira o PDF com a íntegra do Comunicado .


Por: Comunicação/Postal Saúde

Postal Saúde lança por e-mail pesquisa de satisfação sobre a Central de Atendimento ao Beneficiário (0800)

Postado por Arlinda Carvalho em 08 May 2020 11:50


A Postal Saúde vai realizar, a partir do dia 15/5, uma pesquisa adicional por e-mail para avaliar a qualidade da Central de Atendimento ao Beneficiário (0800). O questionário será enviado ao endereço eletrônico dos beneficiários que entrarem em contato com a Central para tirar dúvidas ou buscar alguma informação nos últimos 15 dias.

Esta é mais uma ferramenta para medir a forma com a qual os beneficiários são acolhidos quando procuram a Operadora para orientações.

A Operadora também enviará aos beneficiários um comunicado por e-mail informando sobre o lançamento da pesquisa de satisfação. Assim, quando eles receberem o questionário, já saberão do que se trata.

Objetivo da pesquisa

A pesquisa de satisfação enviada por e-mail tem como objetivo criar um panorama de qual é a percepção do beneficiário sobre o atendimento recebido, a fim de aprimorar as características que são positivas e, eventualmente, eliminar incorreções do processo.

É importante lembrar que, na sua avaliação, deve ser considerado exclusivamente o atendimento relativo à chamada realizada, para gerar dados confiáveis e que possam ajudar, de fato, na avaliação do que pode ser aperfeiçoado.

Dados atualizados

Lembre-se de manter as suas informações cadastrais sempre atualizadas, para receber o e-mail e contribuir para a avaliação do atendimento oferecido pela Postal Saúde.

Importante: a pesquisa NÃO solicita qualquer informação pessoal dos beneficiários. Se houver algum pedido desse tipo, fique atento se o remetente é realmente a sua Operadora.

Sua opinião é fundamental para a construção de um serviço de qualidade!


Por: Comunicação/Postal Saúde
Foto: 123 RF

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9